quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Voltarmos a encontrar-nos...




A vida é algo que não pedimos. Que não quisemos. Algo que nos foi dado e que nos exigem que aceitemos.

O nascimento de uma criança é sempre um acontecimento feliz, dizem! Se isso é de facto verdade, porque é que o primeiro sinal de vida é o choro? Porque é que nascemos a chorar? Por vezes um choro pouco sentido. Suave. Quase sempre um choro aflitivo. Desesperado! Nos casos em que não há choro. Nos casos em que este é suave, quase sempre as coisas não estão bem. Quase sempre os problemas acontecem...

A vida não é fácil! Se fosse não teríamos que lutar por ela dia a dia ! Por alcançar a tão desejada felicidade! Por viver… Ainda que simplesmente por viver!...

A vida é feita de encontros e desencontros. De coisas boas e de coisas menos boas. De surpresas agradáveis e desagradáveis… 

Mas continuam a dizer-nos: “Fica bem!” “Sê feliz!”

Sê feliz!

Alguém conhece a fórmula para alcançar a felicidade?

Alguém porventura pode dizer, com toda a plenitude, que é feliz?

Na maioria dos casos poderão afirmar que sim. Que, na generalidade, são felizes! Mas… é a felicidade total alcançável? “Sê feliz!” "Encontra a felicidade"! "Não penses nisso" (seja isso o que for)!

A vida é repleta de encontros e desencontros. Encontramos amigos. Trabalho. Locais maravilhosos que nos fazem sentir no paraíso… Alegrias. Ternura. Amor... E encontramos sofrimento. Amargura. Solidão. Dor!

Há coisas que não queremos perder nunca! encontrar. Mas também há as que desejamos nunca encontrar! Há surpresas maravilhosas. E há aquelas que desejaríamos nunca ter. 

A vida é algo que vamos construindo no intuito de que o dia de amanhã seja melhor do que o de hoje…

Porquê? O de hoje foi assim tão mau? Precisa assim tanto de ser mudado? O que é que está errado? O que é que queríamos ter feito que não fizemos? O que é que, afinal, queremos mudar? Tudo? Só uma parte?

Nunca estamos satisfeitos com o que temos. Essa é uma realidade! Mas, no fundo, nem sequer sabemos bem o que queremos. O que precisa ser mudado. O que mudaríamos se nos fosse dada a oportunidade… 

Mudar de emprego! Mudar de vida! Mudar a forma de ser. De pensar. De agir. Mudar… mas mudar de um modo que seja absolutamente controlado. Que não nos faça sentir a mudança. Que, no fundo, nos mantenha tal qual como somos. Como estamos. Como vivemos…

A vida é algo que nos foi dado sem que tivéssemos pedido! Não pedimos para nascer! Mas… uma vez que nascemos. Uma vez que a temos, habituamo-nos a ela! Queremos tê-la! Agarrá-la. Mantê-la! Controlá-la! E, no fundo, conservá-la!... Tal como está! Tal como é! De tal modo que nos permita manter a nossa zona de conforto. De paz. De serenidade! De estabilidade!

Se para isso temos que nos queixar dessa mesma vida. Do modo como corre. Como nos faz sofrer. De como nos sentimos infelizes… Fazemo-lo! Queixamo-nos! Zangamo-nos! Revoltamo-nos contra a vida. Contra os Homens e contra o mundo…. Contra as injustiças. Contra os governos. Contra as burocracias. Contra as idiossincrasias… Contra nós próprios!

De todas as dores. De todas as alegrias. De todos os amores. De todas as fantasias… nos vamos cansando.  Vamos querendo mudar.

Todos os encontros. Todos os desencontros. Nos fortalecem. Nos fazem continuar.

De tudo o que vivemos. Ganhamos ou perdemos. De tudo o que fica. De quanto queremos esquecer… aprendemos algo que nos ajuda a viver…

De tudo o que perdemos e não queremos encontrar. De tudo o que temos e não queremos perder...

Há algo que devemos sempre conservar. Algo que, se perdermos, devemos procurar..

Não nos perder a nós próprios! Mas se o fizermos... voltarmos a encontrar-nos...





AA

31-10-2012

1 comentário:

  1. Quanta verdade... Infelizmente se nos perdemos é muito difícil encontro-nos. Mas quando existe força de vontade e se esta é ajudará pelo amor isso torna-se possível!

    ResponderEliminar