sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

O sentido da vida



Dizes que a vida não faz sentido. Que nada tens. Que só te resta morrer…
Não consigo contrariar-te…
 A vida não faz sentido!
Não sozinho ou sem amor. Não sem um destino concreto. Sem forças para lutar
A procura de um rumo…
É isso que te faz viver?
Há procuras inglórias em que por muito que façamos, que tentemos, nada iremos encontrar.
Porque procuramos no lugar errado. Porque questionamos quem não deve ser questionado. Porque pensamos precisar dos outros. Da força dos outros. Dos conselhos dos outros…
Há muito para encontrar nesta vida. Muito para viver.
No entanto
Há muito para penar nesta vida. Muito para sofrer.
Sofremos porque esperamos que outro satisfaça aquele desejo que não conseguimos alcançar. Que outro nos diga o que devemos fazer. Como fazer. Quando fazer
Sem pensar
que depende de nós ser felizes. Que é em nós que estão as raízes
da felicidade
Uma busca interior. Uma caminhada pelo deserto que é o nosso ser. Calcorrear areias movediças que nos arrastam para o fundo
e sair
Percorrer dunas desertas. Invernos agrestes. Ruas sem destino
de onde teremos que voltar.
O mar encrespado que nos tolhe a alma não é eterno. Há sempre uma praia onde vai repousar. Há sempre um rio em si a desaguar. Há sempre um barco pronto a navegar
se o deixares
Sê o teu próprio oásis. A tua ilha encantada. O teu mar chão. A tua praia dourada
Encontra-te a ti mesmo na imensidão que te rodeia. Desbasta as nuvens que te cegam e vê
o que de maravilhoso há em ti.
O quanto ainda tens para oferecer. Para amar. Para viver
Depois, se assim o entenderes, se ainda achares necessário, podes morrer.
Mas não sem antes travares todas as lutas que te dita o teu ser…
 e viver!
 
AdelinAntunes

Sem comentários:

Enviar um comentário