domingo, 24 de março de 2013

Escrevo-te



Escrevo-te porque te sinto. Porque o desejo é imenso.

Escrevo-te porque não te esqueço. Continuas entranhado no meu ser! Fervilhas dentro de mim.

Escrevo-te porque estás vivo. Presente. Por muito que queiras estar ausente.

Partiste com intenção de esquecer. De deixar de existir. De morrer.

Não conseguiste!

Vives na minha alma. No meu corpo. Na minha pele… vives! Jamais vais morrer…

Enquanto eu viver!

É fácil fechar uma porta. É fácil sair sem se despedir. É fácil abandonar o caminho.

Mas é impossível esquecer o momento. É difícil deixar de pensar… continuar.

E esquecer!

Ficam marcas indeléveis. Ficam ternuras vividas. Ficam mágoas, sentimentos. Ficam memórias sensíveis.

E vivas!

Dias vividos intensamente. Com desejo. Com paixão. Noites sentidas. Sonhadas. Sofridas.

Noites frias de tão vazias. Noites que jamais serão esquecidas. Noites de sonho e pesadelo.

Solidão.

Espero um dia deixar de escrever.
Espero um dia também conseguir esquecer. Espero um dia deixar de pensar…

Será o que quero? Deixar de te amar?...

Espero um dia continuar a escrever. Falar de ti sem rancor. Sem desejo ou paixão...

Espero um dia falar de ti…

Como uma doce recordação!


Sem comentários:

Enviar um comentário