sábado, 6 de abril de 2013

45 anos



Tão jovens que nós éramos
sonhadores…
Sonhávamos com aventuras e desventuras
amores e desamores!
Sonhávamos viver tudo o que o mundo tivesse para oferecer.
Não perder nada.
Nada deixar passar.
Nada esquecer.
Encontrarmo-nos foi uma loucura
um desvario total
A paixão despertou no primeiro olhar
Já nada havia a fazer
Perdidos, loucos, apaixonados
mãos que se buscavam na ânsia de se perderem
Bocas que se misturavam na sofreguidão de se quererem
Nada mais queríamos!
Nada mais precisávamos!
O nosso amor era o bastante.
Tu eras o meu mundo,
Eu era a tua amante!
As aventuras sonhadas passaram a ser a dois.
Os sonhos vividos eram contados depois.
O mundo ganhou novas cores
Novos sentidos
Um sem o outro sentíamo-nos perdidos
Há quanto tempo isso aconteceu?
Que importa? Ontem? A semana passada? Há um século atrás?
O tempo não faz sentido
Contámo-lo, claro
Mas apenas para vermos o ímpeto do nosso amor
Para nos deliciarmos com a sua força.
Com o seu fulgor!
Diria que foi ontem, não fosse ter que festejar…
Quarenta e cinco anos! Continuamos a amar.
Tu és a minha vida!
Eu sou o teu tesouro!
Espera-nos outro tempo, outro mundo…
As bodas de ouro!
E…
Se esperarmos mais um instante…
Dentro de um segundo estaremos juntos
Nas bodas de diamante!
 
 Adelina Antunes
dez-2012

Sem comentários:

Enviar um comentário