sexta-feira, 14 de junho de 2013

Lembra-te de mim


... e se por acaso me sentires distante, fria ou calculista

Pensa que talvez haja uma razão para que tal aconteça

Talvez eu não seja assim

Talvez as contrariedades sejam mais do que consigo suportar

Talvez não saiba onde encontrar forças para continuar

Libertar-me desta angústia que me atormenta

Desta esta dor que me invade a alma e me violenta ...

Lembra-te de mim

Só como sou, sem qualquer subterfúgio

Sem esta máscara, este refúgio

De como era. De como desejo ser

Lembra-te de mim nos dias felizes

Lembra-te de mim nas tardes e noites sem fim.

Apenas…

Lembra-te de mim!

 

Adelina Antunes

 14-junho 2013

Sem comentários:

Enviar um comentário