segunda-feira, 22 de julho de 2013

Passas por mim





Passas por mim e achas que sou feliz

Passas por mim e não vês

Que a vida me magoa, me faz sofrer

Passas por mim e não entendes que não quero existir

Que já nada me resta a não ser esquecer

A vida. O passado e tudo quanto ele representa

Passas por mim e pensas que sou feliz

Realizada

Que amo e sou amada

Passas por mim e não vês um coração que sofre

Uma alma que apenas quer o esquecimento.

Queres sentir o que estou a sentir

Puro engano, pois não consegues ver-me sofrer

Não sentes as lágrimas pelo meu rosto a correr

Não vês que me magoas com o teu olhar

Com os teus gestos graciosos, o teu sorriso sofrido

Achas que te posso ajudar

Que tenho meios para eliminar tua dor

Passas por mim e nada consegues ver

Nada tens para oferecer

No entanto exiges que te veja sofrer

Que te ajude e te dê a mão

Que te guie no deserto e na solidão

Pedes

Exiges

Queres respostas que não sei como dar

Tento

Nem sempre consigo

No entanto não tenho coragem para te abandonar

Sofro

Ajudar-te apenas serve para me fazer sofrer

Choro

A tua tristeza, a tua alegria, os teus sentimentos

Estão-me a matar

E nem sequer tenho o direito de querer morrer

Passas por mim e achas que sou eu quem te pode ajudar

Como?

Se nem a mim mesma sei o que dizer

Se nem a mim mesma consigo alcançar

Como?

O que me pedes é demais para mim…

Mas não o entendes assim

Achas que eu sou capaz de te dar

Tudo quanto te venha à mente pedir

Esperas que te possa ajudar

Esqueces que eu

Também estou a sofrer.



Adelina Antunes
17-julho-2013

Sem comentários:

Enviar um comentário